domingo, 21 de setembro de 2008

Uma trégua, por favor...

Ando com o estômago pedindo uma trégua. Desde sexta-feira da outra semana (12) estou sentindo dores na boca do estômago e náuseas. Admito que o cachorro quente talvez não tenha sido uma grande idéia, mas quando é que eu iria imaginar que a dor iria permanecer comigo por tanto tempo? (Além do quê, as lombrigas não iam me dar folga. E ele estava bem gostoso!)

Com isso, ando meio parcimoniosa nas refeições. Tenho uma dieta ultra-light que entra em vigor em situações como esta, a aqui em casa é ela quem está ditando as regras desde quinta-feira (18).

Aproveitando que tomei a decisão de aproveitar um pouco mais a vida (não tenho trabalhado mais durante as manhãs desde terça-feira desta semana (16)), agora tenho tempo de fazer algo que desejo há muito tempo: beber um suco de frutas fresco assim que acordo.

Uso minha técnica de não pensar para não criar empecilhos para mim mesma (ai, a preguiça de lavar a louça depois) e parto para a cozinha assim que acordo. Isso tem me feito muito feliz, e o estomaguinho fica agradecido. Um suquinho de laranja com mamão feito na hora não tem preço.

Ontem, sábado, eu estava incomumente inspirada e me dei ao trabalho de fazer uma saladinha para o almoço. Fiz também arroz, feijão e abobrinha refogada, mas o que me fez mais feliz foi a salada, mesmo. Detesto lavar folhas, então toda vez que consigo produzir uma saladinha aqui o evento é motivo de satisfação pessoal, uma pequena vitória.

Na minha saladinha de hoje tinha alface roxa, rúcula, tomate, pimentões vermelho e amarelo, queijo branco light (porque acho o tradicional muito gordurento) e manjericão seco. Me fez uma pessoa muito feliz. :D

Espero conseguir ter força de vontade para manter uma dietinha pelo menos mais ou menos saudável para me sentir melhor, já que o gastro só me atende dia 13 de outubro.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Cachorro quente de lanchinho

Depois de dias com as lombrigas me atiçando para fazer um cachorro quente, cedi. Mas não sou de fazer cachorro quente jogando a salsicha na água quente pra ferver e depois colocando essa coisa insossa no pão com maionese. Meu cachorro quente é de lanchinho, ou melhor: de festinha de criança.

Começo fatiando as salsichas (fiz um pacote inteiro, pois estava com as duas dragas em casa) e picando uma cebola e um dente de alho.

Depois, refogo a cebola em óleo por uns 3 minutos, junto o alho e refogo um pouquinho mais. Então junto as salsichas fatiadinhas e refogo um pouco também. Sim, refogo tudo, quinhentas vezes... hehehe

Quando a salsicha já deu uma fritadinha, junto água (medida no olho, o suficiente para cobrir a salsicha e um pouquinho mais) e uma lata de molho de tomate. Às vezes eu faço o molho de tomate também, mas ando com preguiça de picar tomates. rsrs

Deixo a mistura alguns minutos no fogo até a salsicha cozinhar e o molho dar uma engrossada, mexendo de vez em quando. Um pouco antes de tirar adiciono manjericão seco e algum outro tempero, se for usar. Desta vez não usei.

A louca aqui gosta de cachorro quente com requeijão, vá entender. Catchup e mostarda também. E queijo. E, quando está dando sopa, um alfacinho, ou um brotinho...

Tá bom, e come com talheres. Gosto da bagunça do sanduíche sim, mas no prato, não nas minhas mãos.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Torta Mousse de Chocolate

Eu sempre digo de que todo relacionamento alguma coisa de bom a gente tira, nem que seja só a experiência.

Esta receita veio da mãe de um ex-namorado. Aprendi com ele também a lavar a louça com as pernas afastadas para não precisar me inclinar sobre a pia e a furar a caixa de leite em cima para não espirrar na hora de servir (é mais fácil e rápido do que cortar a outra ponta - dá uma tesourada mesmo). Dicas, aliás, que repasso com prazer. Mudaram minha vida.

Dia 05 de Setembro é (foi) aniversário do meu pai, portanto fiz uma pequena reunião aqui em casa no sábado (06). Ele é chocólatra assumido e sei que se tivesse feito só uma mousse de chocolate ele teria ficado bem satisfeito, mas como eu já havia me programado para fazer esta torta no aniversário da minha avó e não pude, aproveitei para fazê-la agora, já que os ingredientes estavam todos aqui.


Torta Mousse de Chocolate

Massa

200 g de biscoito maisena
150 g manteiga sem sal gelada
chocolate em pó a gosto (+/- 2 colheres)

Triturar o biscoito no liquidificador, colocar em uma tigela e misturar com a manteiga e o chocolate até ficar uma massa homogênea. Cobrir a forma e deixar na geladeira por 2 horas (eu bato tudo no processador e deixo na geladeira só o tempo necessário para fazer a mousse. Às vezes sou boazinha e deixo um pouco mais).

Recheio

2 latas de doce de leite
2 latas de creme de leite sem soro (o da Nestlé é melhor pq é mais durinho)
Chocolate em pó a gosto (eu uso umas 4 colheres, mas vai experimentando)

Mistura tudo em uma tigela e coloca sobre a massa (sim, é essa dificuldade toda).


Cobertura

A receita original usa 250 g de creme de mesa batido com açúcar, mas eu uso o Chantimix da Amélia (líquido), que pode ser encontrado em lojas distribuidoras de ingredientes para doces. Faça como manda a embalagem.


Obs.: O Chantimix Amélia é vendido em embalagens de 2 tamanhos, a de 1 litro e a de 200 ml, em lojas distribuidoras de doces (já encontrei também no Wal-Mart). Na caixa diz que rende 4 vezes, mas não acredite (sim, cresce, mas nem tanto)! Para cobrir a torta use 2 caixinhas de 200 ml.

* Estou com desejo de cachorro quente. Daqui a pouco acho que sai alguma coisa...

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Torta de Amendoim

Tem gente que diz que só porque tem bolacha na torta, ela é um pavê.

Pouco me importa - isso é só nomenclatura.

O que eu quero saber é do gosto.

Domingo passado foi a festa de aniversário da minha avó, rolou festerê na chácara, tios prepararam risotos que não fotografei porque cheguei atrasada - tive que levar meu irmão ao hospital para tratar de uma crise de bronquite.

A torta/pavê foi muito elogiada, e diversas pessoas pediram a receita. Coisa que se faz, assim, por educação. rsrs

Sei que entre pedir a receita e prepará-la existe uma grande distância - sou a maior prova disso. Ainda não fiz o macarrão na panela de pressão que minha tia me passou a receita meeeses atrás. Mas não importa, porque eu ainda vou fazê-lo. Só preciso parar um pouco em casa...


Torta de Amendoim

Ingredientes:
Base:
200 g de bolacha maizena
150 g de manteiga

Recheio:
1/2 kg de amendoim torrado e moído
250 gramas de manteiga
400 gramas de açúcar refinado
3 claras batidas em neve
3 gemas
2 latas de creme de leite sem soro
200 gramas de biscoito de maisena
1 pitada de sal

Preparo:
Base:
Bata as bolachas no liquidificador até virar pó. Coloque no processador junto com a manteiga e bata até formar uma mistura homogênea. Vai ficar parecendo uma farofa.

Coloque o aro de uma forma de abrir sobre o prato onde será servida a torta e adicione a mistura, pressionando bem. Tome cuidado para que a base preencha toda a extensão do aro. Talvez não seja necessário usar toda a mistura, depende da altura que vc quer a base.

Alise com as costas de uma colher e coloque na geladeira para endurecer por pelo menos 30 minutos (a receita original manda deixar 2 horas, eu não deixo em os 30 minutos que estou recomendando hehehe).

Recheio:
Primeiro prepare o creme: bata a manteiga e o açúcar, acrescente as gemas e bata mais um pouco. Adicione os outros ingredientes e misture até formar um creme bem homogêneo.

Coloque um terço desta mistura sobre a base de bolacha, faça uma camada de bolachas e alterne até chegar na última camada de recheio, que deve ficar por cima. Voce terá três camadas de massa de amendoim e duas de bolachas, sem contar a base.

Leve à geladeira para tomar consistência.

Quando a torta já estiver consistente o suficiente, retire o aro cuidadosamente e decore, espalhando grãos de amendoim torrado por cima (ou dos lados, como eu fiz).

Sirva bem gelada.

* Obs.: A receita original desta torta é servida em uma travessa, sem a a base de bolacha. Eu fiz a base porque queria servir da maneira acima descrita, e sem a base a mistura grudaria toda no prato. Mas da outra maneira ela também é excelente (e até um pouquinho mais fácil...)

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Brigadeiro de copinho

Não tem estômago virado que me impeça de fazer um brigadeiro. Ainda mais quando sobra o amendoim da outra torta (claro, sobra de amendoim é uma excelente desculpa para fazer brigadeiro... rsrs).

É claro que o brigadeiro não piorou meu estômago. Na verdade, acho que brigadeiro é meio medicinal. Nem que seja só psicologicamente, a gente se sente melhor. E é isso que faz toda a diferença.

E isso porque a criança aqui nem deixou a parada esfriar antes de atacar. Minha mãe ensinou que brigadeiro quente dá dor de barriga, mas aí entram duas questões:

1 - Eu já estava com dor de barriga! Acredite - pior não ia ficar.
2 - O brigadeiro já estava morno. Ninguém me falou nada sobre brigadeiro morno...

Tinha sobrado um copinho que eu pretendia colocar na geladeira pra ver como ficava, mas o A. (gatinho, formiga total) atacou a parada e não deixou nem rastro (tá, mentira, depois que ele começou eu acabei ajudando).

O meu brigadeiro nunca é normal, é sempre mistureba. Depende do que tem em casa, na despensa ou na geladeira.

E tem outra... as medidas nunca são exatas, é tudo no olho.

Brigadeiro de copinho

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
1 colher de manteiga ou margarina (eu costumo usar a culinária de tablete, mas é só porque é mais fácil pra medir)
2 colheres de chocolate em pó (não gosto de brigadeiro muito forte nem uso achocolatado, acho que fica muito doce)
canela em pó a gosto
cardamomo em pó a gosto
cerca de meia caixinha de creme de leite
amendoim torrado e quebrado a gosto (compro pronto, é lógico - devo ter usado umas 3 colheres de sopa, o que sobrou da torta)
côco ralado (tava dando sopa na geladeira. Usei umas 2 a 3 colheres de sopa)

Preparo:
Coloquei em uma panela em fogo médio o leite condensado, a margarina, o chocolate, a canela e o cardamomo, mexendo sempre.

Quando os ingredientes se misturaram bem, juntei o creme de leite e continuei mexendo.

Quando a mistura atingiu a consistência desejada (sim, estava desgrudando do fundo da panela) tirei do fogo e juntei o amendoim e o côco.

Servi nos copinhos (rendeu quatro), levei para a sala e me acabei.

* Da próxima vez, acho que vou colocar um pouco mais de creme de leite pra tirar um pouco mais do doce. Do jeito que está, sirva acompanhado de algum líquido (ele fica intenso)!